Notícias

Ações de controle da raiva dos herbívoros passam por cinco municípios

09/10/2018 - Dinalva Martins / Governo do Tocantins

No dia 20 de setembro, equipes de ações de controle da raiva dos herbívoros (bovinos, equídeos, suídeos, caprinos e ovinos) da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) já monitoraram sete abrigos cadastrados de morcegos hematófagos, considerados o maior transmissor da raiva na zona rural, e identificaram três novos abrigos em cinco municípios do Estado. As atividades que foram realizadas em Babaçulandia, Tupiratins, Taporã, Guaraí e Fortaleza do Tabocão foram finalizadas na quinta-feira, 27 de setembro. 

De acordo com o inspetor agropecuário da Adapec, José Veloso Júnior, especificamente em Babaçulândia, os profissionais foram atender a demanda de uma propriedade rural, onde o produtor relatou ataque de morcego em uma pessoa. “Durante uma vigilância ativa da Agência, o produtor narrou o fato, em seguida nossa equipe foi ao local e nas propriedades vizinhas realizar busca ativa de morcegos desta espécie”, disse José Veloso. O produtor já havia procurado a secretaria de saúde do município e do Estado com receio da pessoa agredida ter contraído a raiva, ela recebeu os cuidados necessários e o exame deu negativo pra doença.

No caso de propriedades que identificam ataques de morcegos em animais devem notificar imediatamente a Adapec. “Nas fazendas que têm suspeita de ataque de morcegos, a orientação é vacinar todos os herbívoros contra a doença com reforço em 30 dias para primovacinados e revacinação anualmente. Além disso, fazemos a busca por possível abrigo para controle dos morcegos da espécie hematófago”, explica o gerente do Programa Estadual do Controle da Raiva dos Herbívoros da Adapec, José Emerson Cavalcante.

As ações são realizadas durante o ano inteiro, de forma rotineira, em várias regiões do Estado. “Estamos atentos e vigilantes para fortalecermos o controle e a prevenção contra essa doença que ataca animais e pode ser transmitida ao homem”, ressalta o presidente da Adapec, Alberto Mendes da Rocha.

 

 

 

Compartilhe esta notícia