Notícias

Adapec participa de audiência pública na Assembleia Legislativa sobre retirada da vacinação antiaftosa

27/11/2018 - Dinalva Martins / Governo do Tocantins

Na manhã desta terça-feira, 27, a Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) participou da Reunião Ordinária da Comissão de Desenvolvimento Rural, Cooperativismo, Ciência, Tecnologia e Economia, na Assembleia Legislativa, em Palmas. O objetivo foi apresentar aos deputados estaduais as ações que estão sendo realizadas para retirada da vacinação contra a febre aftosa, prevista para ocorrer no Tocantins em 2021, de acordo com o Plano Estratégico do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa-PNEFA-2017-2026.

O presidente da Adapec, Alberto Mendes da Rocha, falou das atividades que já vem sendo realizadas e dos próximos desafios a serem enfrentados até o Estado se tornar livre da doença sem vacinação. “Já passamos pela auditoria do Ministério da Agricultura e estamos nos adequando para cumprirmos as exigências apontadas. É um grande passo que já estamos dando e precisamos do apoio de toda a cadeia produtiva, pois essa conquista expandirá mercados e agregará mais valor ao nosso rebanho e produtos cárneos e lácteos”, avaliou.

O responsável pelo Programa Estadual de Erradicação da Febre Aftosa, João Eduardo Pires, fez uma apresentação sobre a classificação dos blocos e o impacto do trânsito de animais que ocorrerá de forma gradativa em todo o País até a conclusão da medida. “Os estados do Maranhão e Pará, que fazem fronteira com o Tocantins, retirará a vacinação primeiro, em maio de 2020. Com isso, até maio de 2021, quando o Tocantins retirará a dele, o trânsito de animais para aqueles estados só será permitido para finalidade de abate”, explica.

O auditor fiscal federal da Superintendência Federal da Agricultura(SFA/TO), Luiz Eduardo Cardoso, falou da importância da sensibilização de todos os envolvidos enquanto o Tocantins muda a condição sanitária. “É preciso garantir que a Adapec tenha recursos necessários para atender as demandas, reforçar a vigilância para mitigar riscos e impedir que a doença seja introduzida no Estado”, destacou acrescentando que “É preciso mostrar pro resto do mundo que o País está livre, e assim, acesse novos mercados, pois o caminho para a retirada até aqui foi longo, baseado em estudos minuciosos para diminuir prejuízos”, disse Luiz Eduardo.

O Deputado Estadual, Toinho Andrade, mediador das discussões, enalteceu o trabalho realizado pela Adapec para o crescimento agropecuário do Estado e reforçou o apoio à instituição. “São ações desenvolvidas por servidores comprometidos que resultam em ações extraordinárias”, disse. O deputado estadual, José Roberto complementou. “A discussão foi de grande valia para colaboração em sensibilizar os produtores rurais sobre a importância desse período de um ano com restrição no trânsito, pois falta menos de três anos para a última vacinação”, disse.

De acordo com o diretor de defesa, inspeção e sanidade animal da Adapec, Francisco Ramos, com a conquista do status livre sem vacinação o benefício será direto para todos os produtores. “Ao todo, serão economizados em todo o Brasil R$ 2,7 bilhões em produtos e serviços: vacinas, deslocamento de animais, perdas na parte da carne do animal que contem nódulo por causa da vacina, entre outros”, ressaltou.

Também participaram da audiência os deputados estaduais: Stalin Bucar, Valderez Castelo Branco , Elenil da Penha e José Roberto. 

 

Compartilhe esta notícia