Notícias

Modernização e reestruturação organizacional da Adapec resultarão em redução de custos da Agência

26/06/2019 - Dinalva Martins / Governo do Tocantins

Visando adequação a realidade econômica com redução de gastos, sem causar prejuízo no atendimento ao público, a Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) anuncia nova estrutura organizacional, mais enxuta com 116 unidades de atendimento, que passa a valer a partir do dia 1º de agosto. Com a realocação de 23 unidades, pretende-se reverter os valores que eram utilizados para mantê-los, cerca de meio milhão de reais por ano, em melhores condições de trabalho e nas ações de defesa agropecuária estadual.

A decisão é resultado de um estudo minucioso e após modernização do atendimento aos produtores rurais por meios digitais. Prova disso, é que desde fevereiro deste ano, a Guia de Trânsito Animal eletrônica (e-GTA) passou a ser emitida de qualquer localidade, através da internet. Além disso, a Agência disponibiliza, gratuitamente, o telefone 0800 63 11 22 para atendimento em casos de notificações de doenças, denúncias e prestar informações. Outra vantagem é que a declaração de vacinação do rebanho pode ser feita em qualquer município do Estado, já que 100% das unidades são integradas no sistema informatizado.

O estudo comprovou que a Agência está tendo um déficit de 50% ao ano nesses municípios, que em 2018, registraram gastos com aluguéis, água, energia, telefone, combustível e manutenção de veículos no valor de R$ 392,6 mil tendo uma arrecadação de R$ 198,9 mil. O relatório aponta que tem município, a exemplo da Praia Norte, que emite uma média de oito GTAs mensal, contando com 257 produtores rurais cadastrados e um de rebanho de 22 mil animais, nesse a média de custo mensal foi de R$ 3.343,50 e uma arrecadação de R$ 162,52, um déficit de 95% comprovando que os valores das despesas são muito superiores aos das receitas.

Levou-se em conta ainda os critérios de distância entre os municípios, alguns distantes apenas 20, 10 e até mesmo 5 quilômetros um do outro. “Avaliamos todos os pontos, não podemos gerar mais custos do que arrecadamos, precisamos adequar a nossa realidade. Há anos, necessitamos de melhorias estruturais. Por isso, precisamos economizar pra gerarmos investimentos”, disse o presidente da Adapec, Alberto Mendes da Rocha, acrescentando que, a partir de agora, a Adapec passa a contar com 116 unidades de serviços, 21 barreiras fixas, incluindo a criada recentemente em Sampaio e 14 móveis.

Quanto aos servidores, 49 estavam lotados nestas localidades, destes, 19 (fiscais e inspetores de defesa agropecuária) são do quadro próprio da Adapec e serão realocados na nova barreira fixa de Sampaio, nos escritórios dos municípios vizinhos e nas barreiras móveis. Os outros 30 (administrativos) que são do quadro geral também terão a opção de permanecer no município mais próximo ou em outro órgão dentro da cidade que atuava. Todos serão orientandos e acompanhados até finalizar o processo.  

Municípios

As unidades que serão realocadas estavam nos municípios de Palmeiras, Carrasco Bonito, São Sebastião, Praia Norte, São Miguel, Santa Terezinha, Maurilândia, Brasilândia, Tabocão, Sucupira, Crixás, São Salvador, Abreulândia, Pugmil, Bom Jesus, Tupiratins, Tupirama, Oliveira de Fátima, Chapada de Natividade, Lavandeiras, Rio da Conceição, Porto Alegre e Muricilândia, essa já está fechada.

Compartilhe esta notícia